• Giovana Quini

Dia do trabalho

E aí, como fica o nosso trabalho?



Não só no Brasil, mas também na Argentina, Espanha, França, Portugal e Rússia comemoram também amanhã o dia do trabalho. Essa data foi marcada em 1886, quando ocorreu uma greve geral de trabalhadores que foram às ruas de Chicago para manifestar, reivindicando a redução da jornada de trabalho de 17 para 8 horas diárias. Tal manifestação resultou em forte repressão policial o que estimulou ainda mais manifestações nos dias seguintes. No dia 04 de maio, em uma manifestação na praça Haymarket uma bomba explodiu matando sete e ferindo dezenas de pessoas, entre policiais e manifestantes. Esses e outros eventos contribuíram para que o dia 1º. De maio se tornasse um símbolo para as manifestações e lutas por direitos trabalhistas em várias partes do mundo!

É muito importante olharmos para a história para entendermos o hoje. Olhar para o passado nos faz entender onde estamos hoje.

Mas..... e para onde iremos?

A data que sempre foi símbolo de reivindicação, representa em 2020, um momento de reflexão. É oportunidade de repensarmos. Não cabem reivindicações, mas reflexões e atitudes!

Ainda passando por um momento de pandemia, o mundo se depara com uma nova realidade. Um novo mercado, um novo consumidor, mas e o trabalhador, continua o mesmo?

Com certeza não!

Para acompanhar a nova realidade, o novo mercado e o novo consumidor, o trabalhador também terá que se reinventar, terá que se tornar um novo!

Muitas são as mudanças. A mais gritante é a adaptação às novas ações de biossegurança em todas as áreas. A prevenção de doenças passou a ser um hábito e que não irá acabar com o fim da quarentena. As empresas estão incorporando novas ações às suas atividades.

O uso das novas tecnologias digitais em todas as áreas, sem dúvida nenhuma é outro fator preponderante nessas mudanças! Após um período de reclusão, as empresas contabilizaram uma economia com transporte, espaço físico e estrutura para seus funcionários desempenharem atividades que foram perfeitamente desenvolvidas em home office. Além da economia, a qualidade de vida também ganha muito. Sem a necessidade de ir até o escritório, o profissional se liberta do desgaste físico e emocional de se locomover através de transportes públicos precários e super lotados ou por vias congestionadas.

Outra mudança é a atitude do consumidor. O comportamento e os critérios de escolha na hora da compra mudaram. Durante o período da quarentena, todos tivemos oportunidade de reavaliarmos valores essenciais. O que era primordial, agora já não é mais! A roupa mais cara já não tinha mais o seu valor, quando não saímos de casa, quando não temos onde ir. O carro potente não pode nos levar a lugar nenhum!

Depois desse período de quarentena, o consumidor terá outros valores baseando suas decisões de compra. O atendimento diferenciado, os cuidados com a biossegurança, a qualidade técnica e a presença nas mídias digitais serão mais avaliadas por esse novo consumidor.

Mas o profissional está preparado para esse novo cenário?

Alguns sim, outros não.

Aqueles que, ao invés de se lamentar, utilizaram esse período para se atualizar no uso das ferramentas digitais ou nas dificuldades que tinha, com certeza estará preparado. Mas aquele que ficou apenas se vitimando, não!

Vamos lá, ainda dá tempo! Analise quais são suas dificuldades, onde você se sente mais deficiente e corra pra buscar a equalização com os demais profissionais do mercado, ou mesmo a competência necessária para se destacar!

O mercado de beleza é um dos que mais sofreu com tudo isso. Com a impossibilidade de trabalhar, salões foram à falência. Estatísticas mostram que 50% dos salões de beleza terão seu fechamento decretado devido à pandemia que assolou o mundo nos últimos meses. Os que ainda não fecharam, irão baixar suas portas nos próximos meses!

E você, o que está fazendo? Vai ficar se lamentando, se fazendo de vítima de uma situação ou vai se reinventar?

Não será fácil, mas será possível! Os empresários que realmente administram seus salões como uma empresa sairão um passo à frente. E nesse momento é a hora de um replanejamento, reavaliar despesas e se preparar para abordar esse novo cliente!

Quem permanecer no mercado terá que começar do zero! Reconquistar os clientes e para isso, irá precisar de profissionais preparados e comprometidos!

Você estará entre eles?

Beijos,


Gi


(Texto original publicado em 12/05/2020)

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo